logo
27.11.2019 · Audiência Pública
Especialistas alertam para importância de atividades físicas para saúde de crianças e adolescentes
img_4395_audiencia_educao_fsica_fto_izaias_medeiros

Vereadores de Campo Grande, em parceria com o Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS) e o Instituto Sangue Bom, discutiram, nesta quarta-feira (27), a ação positiva que a realização de aulas de Educação Física tem para as crianças e adolescentes. O debate foi proposto pelo vereador Dr. Cury, por meio da Comissão Permanente de Educação e Desporto, composta ainda pelos vereadores Valdir Gomes, Ademir Santana, Delegado Wellington e Veterinário Francisco. 

De acordo com a proposta apresentada pelo vereador Dr. Cury, os benefícios dessas aulas na vida das crianças e jovens, trará uma melhora na saúde, diminuindo ainda riscos de doenças como a obesidade, hipertensão arterial, colesterol alto e doenças respiratórias. Além de prevenir a depressão e o suicídio. 

Para o Diretor-presidente do Instituto Sangue Bom, Carlos Rezende, "o esporte é fundamental para desenvolver essa competitividade, e conseqüentemente, colaborar não só para melhoria da qualidade de vida e também para evitar e ser um fator predominante para diminuir o número assustador que é a tentativa de suicídio entre esses jovens".

Já o Prof. Dr. Antonio José Grande (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), trouxe algumas sugestões para ajudar no debate. "Tanto no período escolar, como fora também, há a necessidade de se exercer atividades ou danças entre esses jovens. Ampliar campeonatos e competições. Os espaços públicos precisam ficar abertos para que tenha a possibilidade de todos fazerem atividades. Precisamos de ferramentas para que as pessoas possam se conhecer e se encontrar. Utilizar da tecnologia, de modo a usar o tempo de tela para ensinar. Hoje, 49% das crianças e adolescentes, tem algum transtorno mental. E isso precisa ser mudado", declarou. 

Para o psiquiatra Dr. Marcos Estevão dos Santos, vice-presidente do Conselho Estadual de Políticas Públicas sobre Drogas, "Nós vemos na atividade física, uma forma de substituição de prazer ,na liberação de endorfina por exemplo. Nós precisamos começar a pensar no trabalho do educador físico em turnos noturnos também, para dependentes por exemplo. Na saúde mental, todos são importantes nessa luta, como também na figura do educador físico. A educação física é mais uma das ferramentas contra o suicídio, o uso de drogas,  mas que tem que ser visto em todos os turnos escolares, por todos os órgãos da sociedade civil". 

Segundo a Promotora Filomena Fluminhan, da 32ª Promotoria de Justiça da Saúde Pública, " È uma preocupação muito grande para nós, olhar esses dados nos alertando que somos a segunda capital do país no alto número de suicídios. A atividade física é muito importante para que a gente compreenda o porque de estarmos nesse ranking. Precisamos de ações que desencadeiam uma melhor qualidade de vida da população e estarmos atentos aos números e a magnetude desse problema. Acredito que atividade física é sim uma forma de prevenção, e que esse debate nos fará refletir sobre números lamentáveis como esses", revelou. 

Para a Prof. Dr. Sandra Corrêa, professora de Educação Física da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. "Esse tempo de tela (celular), rouba das nossas crianças um tempo que ela poderia estar utilizando para respostas fisiológicas melhores. Isso faz com que elas sejam sedentárias. O nosso grande desafio é fazer com que as pessoas saiam desse sedentarismo e entre para o estilo de vida ativo. Esse é o maior complicador dos profissionais de educação fisica. Precisamos aumentar o número de aulas de educação física nas escolas, pois é na escola que o aluno tem de forma segura de executar seu movimento, e se a família e a comunidade não estiver envolvida, não tem como levar a criança a um estilo de atividade física ativa". E ainda pontuou, que "precisamos de espaços físicos que estimulem essas pessoas a estarem exercendo a prática da atividade fisica". 

Para Rodrigo Terra, diretor presidente da Funesp (Fundação Municipal de Esporte), ressaltou a população que "entendam a importância da atividade física, do esporte, do lazer como uma melhoria da qualidade de vida, para juntos desenvolvermos políticas nessa direção", afirmou.

Diante disso, o proponente da audiência, vereador Dr. Cury, deixou registrado que o material todo do debate está gravado e que poderá ser usado e aproveitado para que sejam tomados caminhos que se evite as taxas altas de obesidade e taxas precoces de suicidio na infancia. "A educação física precisa voltar ao espaço que já teve, em seu estímulo, pois vai colaborar muito com a saúde pública de modo geral", disse. 

Annellyse Tonan
Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal

Acessibilidade com Libras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Campo Grande pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras. Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.