logo
04.07.2022 · Vereador Tiago Vargas
"Estou isolado de partidos, mas não das pessoas", disse Tiago Vargas em entrevista à Rádio Capital
capa_entrevista

O vereador Tiago Vargas concedeu entrevista ao programa Tribuna Livre, da Rádio Capital, apresentado pelo jornalista Marcos Faria, na manhã desta segunda-feira (4). Além do apresentador, o parlamentar, que foi sabatinado pela jornalista Carmen Cestari e pelo comentarista político e ex-deputado Ben-Hur Ferreira, afirmou que depende do povo e não de partidos políticos.

Tiago Vargas respondeu às perguntas dos integrantes do programa, que abordaram variados assuntos, como fiscalizações nas unidades de saúde, buracos nas ruas de Campo Grande, pré-candidatura e apoio político no pleito deste ano.

Marcos Faria iniciou a entrevista lembrando que Tiago Vargas se elegeu como o candidato mais votado na última eleição municipal, somando 6.202 votos. Segundo o parlamentar, essa quantidade expressiva de votos exige um compromisso maior com os que o elegeram. "É uma responsabilidade muito grande, de trabalho, sempre em prol da população campo-grandense", afirmou o vereador.

O apresentador do programa questionou a situação do Los Angeles, para saber como anda o bairro. "Sou nascido e criado na região e, mesmo sendo eleito, eu moro na mesma casa, no mesmo bairro, na região do Anhanduizinho, que é, infelizmente, uma das mais violentas de Campo Grande", disse o parlamentar.

"Uma região que sempre foi esquecida pelo Poder Público, a região do Los Angeles, Dom Antônio Barbosa e Lageado, citando alguns bairros, é um reduto da qual os políticos só se lembram a cada dois anos ou para pedir votos", lamentou.

Tiago Vargas disse ainda que o bairro onde mora não tem rede de esgoto e que a unidade básica de saúde não atende às demandas da população, como deveria atender. O parlamentar municipal também criticou a falta de médicos e de medicamentos na rede pública de saúde municipal.

"Será que compensa manter unidades abertas em Campo Grande sem medicamentos e profissionais qualificados, para atender à população?", questionou.

Vargas reforçou, durante a entrevista, que o trabalho dele é fiscalizar e cobrar o Poder Público. Ele destacou que é o vereador que mais fiscaliza os serviços da Prefeitura Municipal de Campo Grande. Tiago ressaltou que não tem dia e nem hora para fiscalizar os postos de saúde da Capital. "Todos os dias eu estou nos postos de saúde, de manhã, tarde e noite", afirmou.

O vereador fez duras críticas à Saúde de Campo Grande, pois, para ele, o sistema está um caos. Vargas lembrou que o prédio da UPA das Moreninhas está prestes a cair na cabeça dos servidores e dos pacientes. Também lembrou que a farmácia da UPA Universitária está fechada há muito tempo, deixando os pacientes sem medicação. "O trabalho de um legislador é cobrar e fiscalizar, doa a quem doer", disse.

"Meu compromisso não é com partido político, é com as pessoas que depositaram um voto de confiança em mim", afirmou.

O vereador Tiago Vargas destacou que o eleitor não vota no partido, mas no candidato.

Relação com a prefeita

Ben-Hur, aproveitando a deixa, questionou o vereador sobre a relação dele com a prefeita Adriane Lopes (Patriota), já que ambos são da mesma base governamental e as críticas à administração nas redes sociais do parlamentar são mostradas todos os dias, sem esconder nada. "Todos sabem dos problemas que há em Campo Grande, a verdade é essa. Todos sabem que o transporte público é uma porcaria, que não há médicos nas unidades de saúde, pra citar alguns", disse.

"Mesmo sendo da base, essas são situações que devem ser levadas ao conhecimento público. Temos que trabalhar com transparência. Eu cobro muito, não só eu, mas todos os outros vereadores. Sendo da base ou não, eu vou cobrar tudo e a todos", acrescentou.

Tiago Vargas é a favor da candidatura avulsa, pois não aceita que um partido político tenha domínio sobre o mandato de um parlamentar, em qualquer esfera.

Redes sociais

Carmen Cestari indagou sobre a forte personalidade de Vargas e lembrou que algumas atitudes do parlamentar repercutem na mídia e levam a várias discussões de aprovação ou reprovação. A jornalista perguntou se ele usa somente as redes sociais para se comunicar com a população e qual é o peso disso em sua vida política. O parlamentar, por sua vez, disse que o uso do Instagram e do Facebook representa um grande marco na política.

"Hoje, nós temos uma nova forma de fazer política, porque aquele candidato que não está nas redes sociais está fadado ao insucesso. Temos que ter uma participação maciça nas redes, e é o que eu faço, dentre os meus mais de 200 mil seguidores", lembrou.

"Eu mostro os problemas usando as minhas redes sociais e também faço aquele trabalho de campo, na rua, que é necessário. O segredo do sucesso político é pegar o fenômeno das redes sociais e ter o pé no chão, gastar sola de sapato", completou.

Conforme Tiago Vagas, um vídeo seu repercute muito na internet, chegando a alcançar mais de 50 mil pessoas, o que, segundo ele, aproxima ainda mais a população do legislativo. "Às vezes estou em casa e, pelas redes, alguém solicita a minha presença nas unidades de saúde. Eu vou até o local e, na hora, mostro o que está acontecendo", relatou.

O apresentador do programa ressaltou sobre essa questão de o vereador mostrar tudo em suas redes e que alguns servidores não concordam com essa forma de fiscalizar as UPAs, por publicar vídeos. Para o parlamentar, essa resistência à sua fiscalização se dá pelo fato de que, há muito tempo, não havia um político que fizesse um trabalho dessa forma, contínua e incisiva.

"A equipe de enfermagem tenta me impedir de fiscalizar, com o argumento de que eu não posso fazer, mas posso, sim", respondeu o vereador.

"Um dia, fui fiscalizar o parque Jacques da Luz e fui abordado por uma pessoa que tentou me impedir de fiscalizar, dizendo que eu era do mesmo partido do prefeito, mas eu posso fazer isso, sim. O meu papel é fiscalizar e muitos não querem que eu mostre a realidade de Campo Grande", criticou.

Vargas ainda discorreu sobre os vários buracos nas ruas de Campo Grande. Ele disse que há um "buraco para cada CPF", além de criticar as várias obras paradas no município. "São mais de 30 obras inacabadas, mais de 9 EMEIs sem terminar, sendo que 8.700 crianças estão aguardando vaga e os pais que se explodam", ressaltou.

Secretário de Saúde

Para Tiago Vargas, as desculpas para a falta de remédios são sempre as mesmas: demora para licitar, o desfalque de médicos e por causa de viroses. "Isso eu já sei, mas o secretário tem que contratar mais médicos, todos os anos são as mesmas desculpas", lamentou.

O parlamentar aproveitou a grande audiência do programa Tribuna Livre para reforçar seu apoio à administração da prefeita Adriane Lopes e alertou a chefe do Executivo, para que ela troque o titular da Secretaria Municipal de Saúde, José Mauro Filho. "Ele [José Mauro] está afundando a administração da prefeita e ela [Adriane] vai afundar junto com ele", alertou.

Apoio Político

O comentarista político Ben-Hur questionou Tiago Vargas sobre a posição política adotada por ele, que não condiz muito com a ideologia do seu partido, o PSD. Questionou se o seu posicionamento pode prejudicar o vereador nas eleições deste ano, já que ele disputará uma cadeira na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (Alems). O comentarista lembrou que uma candidatura avulsa não é permitida no país e que Tiago Vargas precisa de um partido, de um grupo para se candidatar.

"Eu não preciso de grupos, preciso das pessoas. Eu não tenho grupo político, meu grupo é o povo. Se o partido tentar impedir a minha candidatura é um problema da sigla, mas vou trazer à tona a verdade", prometeu.

"Não vou ficar refém de grupos e de pessoas por conta de partidos políticos, a verdade é essa. Eu não posso mudar o meu jeito de ser, porque fui eleito, eu sou o mesmo Tiago Vargas de seis a sete anos atrás e o partido já sabe disso", completou.

Tiago revelou, durante a entrevista, que, este ano, ele tentou sair do PSD para se filiar ao PL, pois apoia o presidente Jair Bolsonaro, mas foi impedido pelos dirigentes da legenda. "Essa decisão me isola, mas estou isolado de partidos políticos, só não estou isolado das pessoas, que confiam no meu trabalho", finalizou.  

Projetos

Na entrevista, o parlamentar aproveitou para fazer um balanço do seu mandato e destacou que tem mais de 50 projetos apresentados, sendo 17 deles sancionados pelo Poder Executivo e que viraram leis. Ele destacou alguns, como o CPP (Cursinho Preparatório Popular), Infância sem Pornografia, proibição da "Nomeação e Contratação de Condenados por Crimes Contra Crianças e Adolescentes".

Assessoria de Imprensa do Vereador

Acessibilidade com Libras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Campo Grande pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras. Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.